segunda-feira, 7 de junho de 2010

Texto-BaseIntervençãoEmITÁLIA-Conferência....

CONTRIBUTOS DO MOVIMENTO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL PARA A PROCURA DE ECONOMIAS ALTERNATIVAS !

José Carlos Albino
- ANIMAR –
Portugal

1. O Movimento do Desenvolvimento Local, ao apostar nos Territórios e suas Gentes, como Protagonistas e Actores da Renovação Social, Económica e Cultural das diversas Comunidades Locais, tem sido um “Laboratório” de iniciativas, projectos e empreendimentos em Direcção a Novas Posturas nos campos económico, social e cultural.
Partindo do Fomento da Participação, Qualificação Cidadã, Empreendedorismo, Solidariedade, Cooperação e Sustentabilidade, numa lógica de “Baixo para Cima”, tem provocado novos “Ambientes” nas Vivências e Ambições das Populações, o que tem passado pela procura de alternativas económicas, fundadas na criação de trabalho-emprego, no desenvolvimento social, aprofundamento democrático, responsabilidade social da globalidade das empresas e equidade e justiça.

2. Nos últimos anos a ANIMAR, enquanto Rede Nacional, e muitas Organizações de Desenvolvimento Local ( ODLs. ), têm vindo, cada vez mais, a “casar-se” com os movimentos da Economia Social e Solidária e a fomentar o seu desenvolvimento, modernização e eficiência social.
Consideramos um Caminho a prosseguir e expandir, em ordem ao aprofundamento da Democracia Económica, embora saibamos das suas limitações para resolver a globalidade da Crise Actual do Capitalismo. É um Caminho necessário, mas não suficiente.

3. Nesta procura de “Economias Alternativas”, consideramos indispensável o aprofundamento e expansão da “Responsabilidade Social” da generalidade das Empresas, mas, talvez mais importante, apostar em Organizações Cooperativas e/ou de Cooperação Económica, entre a globalidade das Empresas, Empreendimentos Sociais e Instituições e Organizações Locais duma mesma Zona Territorial, de pequena e média dimensão, com vista a criar uma “Malha”de Coordenação Económica para operacionalizar, fomentar e incrementar Modelos de Desenvolvimento assentes na equidade, justiça social, solidariedade, sustentabilidade e qualidade de vida, na base de novos comportamentos e atitudes superadores do “Consumismo” ( Novos e Inovadores “Sovietes” do Séc. XXI, modernos, actuais, plurais, eficientes económica e socialmente e construtivos… ) .

4. Mas nunca poderemos esquecer o Papel do Estado, a diversos níveis. Antes de mais, defendendo a Noção de “Estado Estratega” que realiza, incentiva, regulamenta e coopera para uma via progressista social e económica e uma mais completa Democracia.
Realizando o Estado-Social fomentador de acesso universal às necessidades básicas, materiais e culturais, e promovendo os Investimentos das Obras de Interesse Público e de Desenvolvimento Económico dos sectores estratégicos.
Incentivando a Economia Solidária, a Cooperação Territorial, o Desenvolvimento Local e Associativismo & Democracia Participativa, fomentadoras da Cidadania Activa e do Empreendedorismo desenvolvimentista.
Regulamentando os naturais “Desvios” do Mercado, exigindo comportamentos e actividades suportadas na “Economia Real “ , respeitando a sustentabilidade da Economia.
Cooperando activa e organizadamente com as Organizações da Sociedade Civil, particularmente com as de Iniciativa Social e Territorial
( “Economia Solidária e Territorial” ).

5. Estas vias convergentes na Direcção de Novos Modelos, superadores das Crises, têm que implicar Ideologias Renovadas, que, pedagogicamente, terão que ser anunciadas, defendidas, experimentadas e promovidas perante os Cidadãos Activos e Organizações Associativas, com a introdução de Projectos e Iniciativas demonstrativos dos caminhos a prosseguir.
Estas Acções pressupõem e exigem a Intervenção dos Partidos Políticos Progressistas, renovados ou novos, pois são quem domina a Acção Política e a Luta pelos diversos Poderes, Locais, Regionais, Nacionais, Europeus e Internacionais.
Todavia, será fundamental a Intervenção Cultural e Cívica de Pessoas Individuais e Colectivas, numa lógica de Proposição, Experimentação e Formação Política, que não se revêem em qualquer Partido, mas têm mensagem política a transmitir de forma plural e motivadora das necessárias transformações na sociedade e economia.

6. Por último, afirmar que o Êxito destes Processos, necessitam, “como de pão para a boca”, dum Debate continuado e aprofundado, monitorizando experiências e percursos em realização, e progredindo em “Corpos Teóricos” que clarifiquem as Vias, Métodos, Modelos de Sociedade e Economia e Lideranças Político-Sociais que aglutinem os necessários “Blocos Sociais de Progresso” .
Agora, vamos ao Contraditório e Debate Participado !

José Carlos Albino
Portugal .

2 comentários:

  1. ,,,força no Contaditório..!!!!!!!
    zc .

    ResponderEliminar
  2. Contraditório... Olha Este!
    Gosta mesmo é de discutir.

    Abraço

    ResponderEliminar

 
Acessos: